13ª Edição 2017

Festival Gran Finale: a experiência única de cantar com mais de 500 vozes de crianças e jovens.

Saiba como participar:

Gran Finale Festival Corais ! Saiba como participar

Gran Finale Festival Nacional de Corais Infantis e Jovens 400 crianças e jovens cantando um único repertório com um maestro de renome internacional Conheça como participar Traga seu coral ou participe do workshop e observe o Maestro convidado ensaiando contato@granfinalefestival.com.br Direção : Lilia Valente /Pró Coral Eventos

O que é o Gran Finale

Gran Finale – Festival Nacional de Corais Infantis e Jovens é um evento musical, no qual se reúnem mais de 500 crianças e jovens de corais do todo Brasil, pré- selecionados, que se integram para formar dois grandes coros com repertório único para um concerto final, o GRAN FINALE, regido por um competente e tarimbado maestro convidado de renome internacional. O Festival atende também crianças e jovens de baixa renda, sendo um projeto de inclusão social através da música.

O Festival não é competitivo e não tem por finalidade a premiação; pode ser definido como um encontro dos melhores corais infantis e jovens, como resultado prático do esforço conjunto de regentes brasileiros. É o coroamento de pessoas e instituições que lutam para desenvolver a cultura em nosso país.

Este formato de festival é único e inovador no Brasil, e foi inspirado no tradicional festival anual que acontece no Teatro Carnegie Hall de Nova York – EUA.

O evento conta com um workshop para instrumentalizar e reciclar os conhecimentos dos regentes inscritos com a abordagem de novos temas e também a observação dos ensaios. Em 2011 o workshop tornou-se Curso de Extensão Universitária, com certificado emitido pela Universidade Cruzeiro do Sul. Como atividade complementar ocorre uma feira com venda de livros pedagógicos musicais, partituras, arranjos e CDs infantis.

Festival Gran Finale 2017 reúne 350 coralistas e 1,8 mil espectadores

A 13ª edição do Gran Finale – Festival Nacional de Corais Infantis e Jovens, realizada no início do mês de outubro de 2017, registrou números grandiosos. Mais de 300 crianças e jovens de diferentes corais brasileiros participaram, além de 90 regentes vindos do país todo. No Concerto final no Teatro Bradesco, em São Paulo, o público chegou a 1,8 mil pessoas. A convidada internacional, maestrina Ruth Dwyer (EUA), foi outro destaque desta edição.

NÚMEROS 13ª EDIÇÃO

6 corais jovens – 70 coralistas
15 corais infantis – 280 crianças
TOTAL CORAIS 21
TOTAL CORALISTAS 350
BOLSA INCENTIVO – Corais de Comunidade de baixa renda
11 CORAIS – 240 CORALISTAS
PÚBLICO TOTAL nos 2 concerto 1.800
Ingressos gratuitos 950
WORKSHOP
TOTAL – 90 regentes
Nove estados brasileiros: Alagoas, Pará, Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal, Mato Grosso, Paraná, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

RETROSPECTIVA

Reunindo as estatísticas das 13 edições do Festival Gran Finale, chega-se ao número de 295 corais, com 5.458 participantes nas faixas etárias infantil e jovem. O tradicional Workshop atraiu, no total de edições, 1.266 regentes de mais de 15 estados do Brasil. Já o público de todos os Concertos do Gran Finale já realizados chegou a 21,2 mil pessoas.
PESQUISA DE OPINIÃO (máxima 5,0)
Média geral dos regentes 4,2
Média geral dos coralistas 4,5
Media Maestrina Ruth Dwyer 4,9

Maestrina Convidada 2017

Ruth E. Dwyer Indianápolis /EUA

Maestrina Ruth E. Dwyer

Maestrina Ruth E. Dwyer

Maestrina Ruth E. Dwyer é reconhecida internacionalmente como especialista em coral infantil, juvenil e educadora Kodály.  É diretora do ICC – Indianápolis Children’s Choir em Indianápolis, sediado na Butler University – EUA – desde 1988 e responsável pela área de formação musical do ICC, com foco em conteúdo curricular – educação musical através do canto coral, orientação do corpo docente, regência de 4 coros e o ensino no programa First Steps.

Ela também é Fundadora e Diretora Artística do CICC – Columbus Indiana Children’s Choir em Columbus, no estado de Indiana/EUA há 22 anos. Esta é uma das maiores colaborações artísticas em Indiana. Seu trabalho com o ICC / CICC permitiu concertos e workshops  em todo o Estados Unidos e no exterior.

Antes de seu cargo em tempo integral com o ICC, a maestrina Ruth trabalhou durante 19 anos como educadora de música da escola pública americana e recebeu inúmeros prêmios como: professora do ano pela IMEA- Associação de Educação Musical de Indiana, o prêmio Hoosier Musician, o prêmio CIP Golden Baton e o prêmio IPS Rising Star.

Entre seus trabalhos destacam-se a regência de inúmeros Coros de Estado e de Honra, como o Coro Nacional Infantil no Lincoln Center /Nova York e para MidAmerica Productions no Carnegie Hall também em Nova York. Fundadora e Diretora Artística do Hoosier Hills Choral Festival no sul da Indiana e de Philthrusong, Inc. – Filantropia através da música, uma organização sem fins lucrativos. Seus coros se apresentaram para a IMEA – Associação de Educadores de Música de Indiana, na  Conferência Nacional da AOSA  – Associação Americana ORFF  SCHULWERK em Nova York no Carnegie Hall e Avery Fisher Halls, Espanha, nos EUA e em toda a Europa Central. Ela preparou coros para apresentações com a Orquestra Sinfônica de Indianápolis, o Coro Sinfônico de Indianápolis, a Ópera de Indianápolis, a Filarmônica de Columbus Indiana e a produção de Nutcracker na Universidade Butler.

Ela é compositora, arranjadora, editora coral e autora. Seus trabalhos podem ser encontrados na série Coral Ruth Dwyer em Colla Voce, ICC Teacher Resources on line e com os editores de música Hal Leonard e Brock.

Ruth Dwyer recebeu ambos os seus diplomas de Bacharelado e Mestrado na Universidade de Indiana, onde se especializou em educação musical através do canto coral. Ao frequentar a Universidade de Indiana, ela também recebeu sua certificação Kodály sob a orientação de Mary Goetze e Jean Sinor. Ela gosta de um bom café, visitar a família, jardinagem, leitura, vela e caminhadas nas montanhas.

Direção Cênica e Cenografia

João Malatian

João Malatian é diretor cênico de espetáculos musicais com longa parceria com o Theatro Municipal de São Paulo, onde ingressou como cantor do Coral Paulistano e onde passou a atuar posteriormente como diretor cênico residente. Desde 2005, integra a diretoria artística desse Theatro. Formado pelo Conservatório Dramático e Musical de Tatuí e pela Faculdade de Artes Santa Marcelina, como bolsista da Fundação Calouste Goulbenkian, fez estágio em direção de ópera na English National Opera no ano 2000, com o suporte da Fundação Vitae.

Seus trabalhos como diretor se destacam pela variedade de repertório e formato, transitando com desenvoltura desde as óperas barrôcas (L’Orfeo de C. Monteverdi e Arianna de B. Marcello) até obras contemporâneas (LabORAtório de Flo Menezes) passando por títulos do repertório tradiconal (Bodas de Fígaro de W. A. Mozart e Il Guarany de A. C. Gomes) e também títulos menos conhecidos ou encenados no Brasil (Le Villi de G. Puccini e Porgy and Bess de G. Gershwin). Se destacam também Carmina Burana no SESC de São José dos Campos em 2010 e a produção ao ar livre de Pagliacci de R. Leoncavallo na Virada Cultural de 2011.

Desde 1996 participa ativamente dos projetos do Theatro Municipal voltados ao público infantil, dirigindo os espetáculos didáticos especialmente criados para as crianças em idade escolar (O que é uma ópera, Almanaque Musical). Em 2007 dirigiu Se essa rua fosse minha… com o Coral Infanto-Juvenil da Escola Municipal de Música dentro do projeto Municipal para Crianças.

Neste ano de 2017, escreveu o roteiro e dirigiu o espetáculo João de Barro para Crianças dentro do projeto Meu primeiro Municipal.